As tensões que constroem o que chamamos de família

29.08.2014
, , , ,  - 
Mais um pouco de nostalgia do passado: um jogo de imagens maravilhoso, que diz tanto da dinâmica clássica numa família. Quem não se identifica com o que ela transmite?

O pai, que quer expor a criança a uma emoção maior, a um pequeno riscoque representa a aventura de viver; que apresenta ao filho/a a aventura do desconhecido, a cultura, o jogo da vida.

O filho, encantado com o jogo proposto pelo pai, com um misto de medo e desejo, sentindo a deliciosa mistura de perigo e aventura com a segurança trazida pela presença e pelos braços fortes do pai.

E a mãe, cuidadora maior, sempre atenta e preocupada com o bem estar da cria, com a sua sobrevivência acima de tudo, querendo eliminar se possível todo o perigo e todo o sofrimento da vida do filho, apavorada diante da aventura e dos riscos que ela traz.

Todos nós já vivemos pelo menos dois papéis d]nesta tríade, tão deliciosa, tão representativa das tensões que nada mais são que a própria vida.

Foto: Mais um pouco de nostalgia do passado: um jogo de imagens maravilhoso, que diz tanto da dinâmica clássica numa família. Quem não se identifica com o que ela transmite? 

O pai, que quer expor a criança a uma emoção maior, a um pequeno risco que representa a aventura de viver; que apresenta ao filho/a a aventura do desconhecido, a cultura, o jogo da vida.

O filho, encantado com o jogo proposto pelo pai, com um misto de medo e desejo, sentindo a deliciosa mistura de perigo e aventura com a segurança trazida pela presença e pelos braços fortes do pai.

E a mãe, cuidadora maior, sempre atenta e preocupada com o bem estar da cria, com a sua sobrevivência acima de tudo, querendo eliminar se possível todo o perigo e todo o sofrimento da vida do filho, apavorada diante da aventura e dos riscos que ela traz.

Todos nós já vivemos pelo menos dois papéis d]nesta tríade, tão deliciosa, tão representativa das tensões que nada mais são que a própria vida.

 

Compartilhe !