Trangênicos: começam a aparecer os efeitos nocivos

13.01.2013
, , , , , ,  - 
Voltando à nossa alimentação: um estudo sério, feito pela Universidade de Caen na França, acaba de demonstrar efeitos muito graves da mistura explosiva de milho transgênico (ou OGM, organismos geneticamente modificados) – da Monsanto – e o agrotóxico mais usado no mundo: o Roundup – um produto da… Monsanto – uma das empresas que mais acumulam acusações de práticas criminosas de todos os tipos na história do capitalismo.O mais incrível é que os cereais transgênicos são confeccionados justamente para resistir ao Roundup. E são impostos aos agricultores pelos bancos e pelo governo. Parece que todos querem defender os interesses deste monstrengo. Por que será?

Os resultados são considerados “alarmantes” e mostram uma mortalidade muito mais rápida e precoce com o consumo dos dois produtos juntos.

O milho foi introduzido como parte de uma alimentação equilibrada, correspondente à dieta americana. E a dose de Roundup corresponde à utilizada na Bretanha (norte da França) – provavelmente bem menos do que no Brasil.

Os tumores (principalmente renais nos machos e mamários nas fêmeas) apareceram com muito maior freqüência e em ratos mais jovens, quando alimentados com transgênicos. Além disso, muitos animais apresentaram alterações renais e hepáticas severas. A mortalidade foi duas a três vezes maior.

Pela primeira vez no mundo, um transgênico e um pesticida foram estudados por um prazo mais longo do que haviam feito até agora as agências de saúde, os governos e as indústrias. O diretor do estudo, Gilles-Eric Seralini, cientista que integra comissões oficiais sobre os alimentos transgênicos em 30 países, afirma que é criminoso que os transgênicos não tenham sido testados seriamente antes pelas autoridades, quando já estamos com 15 anos de sua comercialização no mundo.

Pelo jeito, o argumento da Monsanto e afiliados de que os transgênicos são a única solução para impedir a escassez de alimentos no mundo vai deixar de ser incontestável. E sim, transgênicos fazem parte da nossa vida: milho (e seus muitos derivados), soja (idem), arroz, canola e até salmão (!) geneticamente manipulados, e portanto com efeitos potencialmente danosos, são alguns dos produtos que podem chegar à nossa mesa.

A nós cabe escolher, e se quisermos, discutir as razões destas escolhas com outros. Eu prefiro, em nome da saúde humana e do meio ambiente, utilizar e recomendar alimentos naturais, e sempre que possível, orgânicos.

OBS: A Monsanto é responsável pela produção de 90% dos transgênicos no planeta e é também líder no mercado de sementes. É severamente criticada porque não leva em consideração os custos sociais e ambientais associados a sua atuação. Tem diversos produtos que são acusados de prejudicar a saúde, usados em vegetais, leite e outros alimentos. A empresa é acusada de biopirataria, de contrabando de sementes, de manipulação de dados científicos, conspirações (como a participação no recente golpe do Paraguai) e também de ser responsável pelo suicídio de agricultores na Índia e na África, que se endividaram por conta dos altos custos de sementes transgênicas e de insumos químicos necessários às plantações de transgênicos. Veja, entre outros,https://www.facebook.com/occupymonsanto/info .

Foto: Voltando à nossa alimentação: um estudo sério, feito pela Universidade de Caen na França, acaba de demonstrar efeitos muito graves da mistura explosiva de milho transgênico (ou OGM, organismos geneticamente modificados) – da Monsanto - e o agrotóxico mais usado no mundo: o Roundup – um produto da... Monsanto - uma das empresas que mais acumulam acusações de práticas criminosas de todos os tipos na história do capitalismo.

O mais incrível é que os cereais transgênicos são confeccionados justamente para resistir ao Roundup. E são impostos aos agricultores pelos bancos e pelo governo. Parece que todos querem defender os interesses deste monstrengo. Por que será?

Os resultados são considerados "alarmantes” e mostram uma mortalidade muito mais rápida e precoce com o consumo dos dois produtos juntos.

O milho foi introduzido como parte de uma alimentação equilibrada, correspondente à dieta americana. E a dose de Roundup  corresponde à utilizada na Bretanha (norte da França) – provavelmente bem menos do que no Brasil.

Os tumores (principalmente renais nos machos e mamários nas fêmeas) apareceram com muito maior freqüência e em ratos mais jovens, quando alimentados com transgênicos. Além disso, muitos animais apresentaram alterações renais e hepáticas severas. A mortalidade foi duas a três vezes maior.

Pela primeira vez no mundo, um transgênico e um pesticida foram estudados por um prazo mais longo do que haviam feito até agora as agências de saúde, os governos e as indústrias. O diretor do estudo, Gilles-Eric Seralini, cientista que integra comissões oficiais sobre os alimentos transgênicos em 30 países, afirma que é criminoso que os transgênicos não tenham sido testados seriamente antes pelas autoridades, quando já estamos com 15 anos de sua comercialização no mundo.

Pelo jeito, o argumento da Monsanto e afiliados de que os transgênicos são a única solução para impedir a escassez de alimentos no mundo vai deixar de ser incontestável. E sim, transgênicos fazem parte da nossa vida: milho (e seus muitos derivados), soja (idem), arroz, canola e até salmão (!) geneticamente manipulados, e portanto com efeitos potencialmente danosos, são alguns dos produtos que podem chegar à nossa mesa.

A nós cabe escolher, e se quisermos, discutir as razões destas escolhas com outros. Eu prefiro, em nome da saúde humana e do meio ambiente, utilizar e recomendar alimentos naturais, e sempre que possível, orgânicos.

OBS: A Monsanto é responsável pela produção de 90% dos transgênicos no planeta e é também líder no mercado de sementes. É severamente criticada porque não leva em consideração os custos sociais e ambientais associados a sua atuação. Tem diversos produtos que são acusados de prejudicar a saúde, usados em vegetais, leite e outros alimentos. A empresa é acusada de biopirataria, de contrabando de sementes, de manipulação de dados científicos, conspirações (como a participação no recente golpe do Paraguai) e também de ser responsável pelo suicídio de agricultores na Índia e na África, que se endividaram por conta dos altos custos de sementes transgênicas e de insumos químicos necessários às plantações de transgênicos. Veja, entre outros, https://www.facebook.com/occupymonsanto/info .

Compartilhe !